segunda-feira, 20 de agosto de 2018

RESENHA LUNÁTICA - OS ANIMAIS TAMBÉM VÃO PARA O CÉU



  
LIVRO: OS ANIMAIS TAMBÉM VÃO PARA O CÉU
AUTOR: ANTOLOGIA DE CONTOS ORGANIZADA POR CAMILA PELEGRINI
EDITORA: SINNA
PÁGINAS: 232
RESENHA POR FABÍOLA MORGAN

SINOPSE:
Dizem que anjos têm asas. Mas e se, na verdade, eles tiverem focinhos?
O que todos os contos deste livro têm em comum é o respeito por outras espécies e a humildade de se reconhecer que temos menos a ensinar e muito mais a aprender do que pensamos. Os professores? Os corações puros, doces e sábios que vêm a esse mundo para falar a quem consegue ouvir com a alma. São histórias comuns que se tornam extraordinárias quando notamos a presença dos animais em todas as páginas. Sorte a nossa tê-los também em nossas vidas e, por que não, também além dela. Afinal, os animais também vão para o céu. Ou será que é de lá que eles vêm?

RESENHA DA BLOGUEIRA
Se você, assim como eu, é louca por bichinhos, então esse é o livro certo para você. “Os animais também vão para o céu” é uma antologia com 22 contos organizada por Camila Pelegrini.
Meu coração ainda não se recuperou desses contos. Confesso que ao terminar o livro estava receosa em fazer a resenha, pois cada um foi uma experiência única e fiquei com medo de não conseguir passar os sentimentos corretos, mas vou tentar.
Quando peguei o livro não imaginava que viriam tantas lágrimas. Animais são o meu ponto fraco nos livros e esse é dedicado a eles.
O livro é encantador em tudo. Antes de comentar seu conteúdo preciso ressaltar a diagramação, é tudo muito rico em detalhes e para cada novo conto há uma ilustração correspondente que ajuda a ter noção do que esperar e te faz suspirar e correr parar ver a próxima.
Quanto ao conteúdo o livro te surpreende e te ganha logo no prefácio. Foi uma das coisas mais lindas e emocionantes que já li.

“E como poderia ser diferente, se cada vez que nos encaram com um de seus olhares doces, todo o mal se dissipa? [...] é como se nós mesmos estivéssemos neste céu, que é tão deles, mas que passa a ser nosso através de seu carinho.
São anjos com auréolas nos olhos...” (Prefácio, p. 8)

Como comentei cada conto me passou um sentimento único, alguns nos mostram a vida através do olhar desses pequenos anjos, talvez algo que nunca tenhamos nos perguntado: o que representamos para esses seres tão únicos? A relação básica é de pet e dono, mas eles são muito mais, são nossos amigos, nossos companheiros e sempre, do seu jeito peculiar, estarão ali por nós, e o mínimo que podemos fazer e estar por eles também.
Alguns contos me marcaram muito, por exemplo, o primeiro. Nossa senhora, lembro da minha revolta e crise de choro, não conseguia entender como alguém podia ser tão sádico (hahaha). Tentei me acalmar e reli o conto, chorei igual, mas o sentimento era outro, eu estava encantada e guardei aquele sentimento mágico para mim. Continuei a leitura e fui me apaixonando cada vez mais, sempre com um lencinho do lado para minhas lágrimas persistentes. No conto “A melodia perdida” precisei fazer uma nova pausa e deixar o livro de lado ou iria desidratar.

Minhas penas. Minha voz. Minha vida. Eles queriam tudo. [...] Tudo o que era motivo de orgulho tinha sido convertido em maldição pelos humanos.” (p. 34)

Os contos seguem e os suspiros não param, as lágrimas tão pouco, mas também há risos e claro revolta, mesmo se tratando de uma ficção os relatos se fazem tão reais que nos fazem sentir vergonha por sermos humanos, por saber que o descrito ali, todo maltrato e toda a dor são reais.
Só tenho a dizer que há muito não lia algo tão encantador e que me arrancasse tantas lágrimas. Foi uma experiencia linda de leitura e super indico o livro, será uma eterna e deliciosa ressaca literária.