quinta-feira, 30 de agosto de 2018

RESENHA LUNÁTICA - CONDADO MACABRO



LIVRO: CONDADO MACABRO
AUTOR MARCOS DEBRITO
EDITORA SIMONSEN
RESENHA POR ELZA  SANTOS

SINOPSE

Você já viu esse filme: cinco amigos, transbordantes de hormônios, resolvem alugar um casarão no meio de uma floresta, mas não contam com a possibilidade de serem assassinados por psicopatas mascarados. O que você não viu, foi este aqui: trocadilhos à brasileira, um chapéu de cangaceiro, música brega aos montes, poeira, calor, frustração sexual e reviravoltas, ah, muitas reviravoltas. Marcos DeBrito, cineasta, roteirista e romancista, fez um caminho atípico, o de adaptar seu próprio filme das telas ao papel. E o resultado não poderia ser mais feliz – ou aterrorizador. Como você poderá conferir, as duas obras se completam; se você gostou de uma, certamente vai gostar da outra, e se conhece apenas uma, vai querer conhecer a outra. Com três narrativos que se fundem e se misturam, o autor demonstra habilidade rara na condução dos personagens e da trama, que homenageia clichês, subverte clichês e brinca com clichês. Das referências aos filmes shasher dos anos 80 aos vilões icônicos, está tu do lá, mas tudo vai além. Condado Macabro é sangue fresco com sabor tupiniquim. Quem viver, lerá.


RESENHA DA BLOGUEIRA


Uma verdade o autor disse: Quem viver, lerá!!!
E será que alguém viveu? Ou devo dizer sobreviveu? 
Acabei de ler esse livro maravilhoso, que me tirou totalmente da minha zona de conforto. Uma mistura de terror sangrento com suspense, ação, piadas de duplo sentido e muita cara de pau do Beto sem noção. 
A história começa com cinco amigos em um fim de semana prolongado numa mansão no Cafundós de onde Judas perdeu as botas. O fim de semana perfeito, certo? Não! Totalmente errado. O que começa bem, termina bem também, né? Errado de novo. 
O livro te deixa sempre com a sensação de “o que vai acontecer agora, meu Deus?”.
Sabe aquela sensação dos filmes de terror de quando você era  criança? É bem por aí! Ele te instiga. E o melhor de tudo, o autor te dá umas rasteiras que você fala assim: Opa! É isso mesmo? 
Digo que já conhecia o autor por outra obra sua que a minha amiga ganhou e achou maravilhosa. 
Quer saber qual? A casa dos pesadelos. 
Cara, eu recomendo muitíssimo esse livro! Tá na minha lista de favoritos da vida, e aquela que sempre vale a pena reler de novo.