quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

RESENHA LUNÁTICA DUPLA: PEQUENA LONDRES E UMA PEQUENA EM LONDRES


DUOLOGIA: PEQUENA LONDRES/ UMA PEQUENA EM LONDRES
AUTORA MARIA ANGÉLICA CONSTANTINO
EDITORA NOVO SÉCULO
BLOGUEIRA CINTHIA GUTIERREZ

SINOPSE

PEQUENA LONDRES

“Pequena Londres” tem tudo para agradar a leitores que apreciam uma delicada comédia romântica – impossível não gargalhar em determinadas cenas. No quesito timing para criar situações cômicas, Maria Angélica Constantino é insuperável. Mas agrada também aos que gostam de um drama para se debulhar em lágrimas. Há momentos de leveza e romantismo, graça e descobertas sutis – como é comum entre pessoas de culturas tão diversas –, mobilizando o público para esse amor quase palpável entre dois personagens de classes sociais extremas, com todas as suas possibilidades e surpresas. A autora tem o dom de envolver e transportar os leitores para esse universo paralelo, ficcional, em que torcemos pelos personagens, nos emocionamos, sofremos com eles. Parabenizo-a em especial pela sua capacidade de conseguir imprimir características tão fortes e pessoais à protagonista, encantando o inglês (e os leitores) de maneira indelével. Em síntese: uma história digna de integrar a melhor comédia romântica de Hollywood.

UMA PEQUENA EM LONDRES

Brindemos! Ler Uma pequena em Londres foi como um perfume inebriante que invadiu meu olfato e, ainda, como degustar um vinho re¬ nado em seu sabor, de aroma único, encorpado denso como a escrita da Maria Angélica que conseguiu capturar os sentidos na continuidade de sua obra.” (Dra. Cleide Vitor Mussini Batista) “Corações endurecidos pela vida também podem ser afetados por belas histórias! Este livro tocou minha alma!” (Claudia Maria) “De sensibilidade impressionante, Uma pequena em Londres fecha com maestria a apaixonante e improvável história de amor de Juliana e Tom.” (Bruna Fracaro) “Nenhum fio ficou solto em relação ao primeiro volume; além da boa costura da trama, Maria Angélica evidencia que a vida é bem isso: uma sucessão de dores, sobressaltos, alegrias e pequenas vitórias. Em minha opinião, a espontaneidade das falas e das reações dos personagens é o ponto alto de sua narrativa. Nesse quesito, a autora é insuperável!” (Kyanja Lee)',

RESENHA DA BLOGUEIRA: PEQUENA LONDRES

Com um início trágico, nasceu Juliana. Uma menina criada por sua tia Helena com todo amor do mundo, nunca teve luxos, mas nunca teve vergonha de onde veio, conseguia ver sempre algo bom em meio a tempestade, seu único medo era ser mais uma vez deixada por quem ama. Com suas amigas malucas foram passar férias no Rio de Janeiro, porém aquela não seria uma viagem como as outras, aquilo seria toda uma vida mudando. Até que ela encontra Tom dentro do banheiro, um encontro nada sensual. Ambos não queriam nada com ninguém, apenas viver um dia após o outro, mas a partir daquele dia tudo mudou.
Uma história de amor singelo, cheios de promessas e medos. 
No início a história se torna cansativa, pela descrição minuciosa de muitos detalhes desnecessários, porém com o decorrer da trama a autora vai te conquistando, mostrando que seus personagens são mais do que parecem ser. O livro tem fatos que mostra o quanto a autora estudou e pesquisou para criar a obra. E o final do livro? Meu Deus, tenho certeza que tinha muitos olhos dentro das minhas lágrimas. Se não soubesse que tem um segundo livro estaria arrancando os cabelos pra saber o que irá acontecer com os personagens.


RESENHA DA BLOGUEIRA: UMA PEQUENA EM LONDRES


Com o final do primeiro e começo do segundo livro, já dava pra ver que ainda tinha muita história pela frente.

Quando o leitor mal acaba de limpar as lágrimas, a autora nos surpreende com bomba atrás de bomba, te deixando de boca aberta com o desenrolar da trama. Com obstáculos, conspirações, revelações do passado, e claro muitas superações dos personagens.

Achei muito legal o desenvolvimento e amadurecimento de todos os personagens da trama.
O  primeiro livro mostra que é uma leve introdução do segundo livro. A autora consegue te prender do começo ao final, não tem enrolação alguma durante a leitura. E a valorização do ao Brasil, achei magnífico, ao mesmo tempo que falava as tradições de Londres, a autora soube mostrar a riqueza de um país ainda visto como subdesenvolvido. Alguns momentos fiquei perdida em mudanças de países, mas nada que prejudicasse o livro como um todo. A autora soube fechar cada ciclo da trama, não deixando nenhuma ponta solta. Agora me pego surpresa de ler  dois livros seguidos e a narrativa em terceira pessoa ter fluido tão bem e eu só me tocar agora, algumas autoras podem te surpreender independente de primeira ou terceira pessoa. 

Amei!!

Super recomendo!