sábado, 29 de abril de 2017

RESENHA LUNÁTICA - UM AMOR CONQUISTADO SÉRIE AMORES - LIVRO 01





 RESENHA LUNÁTICA

LIVRO: UM AMOR CONQUISTADO ( Série Amores – Livro I )
AUTORA: SILVIA SPADONI
EDITORA: PEDRAZUL  - 2017
N º DE PÁGS: 208


SINOPSE

Ainda criança, Sophia foi levada para a Inglaterra para fugir da perseguição e do terror impostos pela Revolução Francesa. Com medo de ser descoberta, nunca revelou sua origem nobre, mas manteve viva a esperança de reencontrar sua família. Após o falecimento da madrinha, Sophia se vê obrigada a buscar trabalho para sobreviver e, por isso, se candidata à vaga de preceptora de Louise, a sobrinha órfã do conde de Buckington, um nobre conhecido pela sua frieza e arrogância. Uma brincadeira do acaso e ela se vê diante da possibilidade de voltar à França sob a proteção do nobre inglês e de descobrir o que aconteceu com seus pais. Mesmo avisada sobre os riscos, ela decide seguir em frente, ainda que isso signifique fingir ser a noiva do conde de gelo. Edward é um homem frio e arrogante, disposto a qualquer coisa para vingar-se do francês que destruiu seu irmão, até mesmo embarcar para a França em companhia de uma desconhecida apresentando-a como sua noiva. Ele conhece os riscos da empreitada, só não está preparado para os sentimentos contraditórios que invadem seu coração.


RESENHA

Sophia é uma jovem atrevida, após um passado manchado por sangue devido a revolta na França, tenta recomeçar a vida, sem sua única salvação, sua madrinha Marguerite.
Ela se sentia segura na terra que a acolheu tão jovem quando a França estava em banho de sangue, sua querida Inglaterra. Após um pequeno acidente, ela se vê agora sob os cuidados do irresistível Lorge Edward, mas conhecido como coração de gelo. Após isso a vida de ambos não poderia ser a mesma. Com muitas descobertas na França, vários pontos finais e um grande recomeço. Dois países a beira de uma guerra e muitas conspirações de Napoleão Bonaparte para derrubar a Inglaterra, não podê destruir esse nobre amor.
Minha lista de leitura de romances de época é bem vaga, e os que li me deixavam a sensação de que estava faltando conteúdo, porém o livro me surpreendeu logo nas primeiras impressões, uma Leide forte, determinada e nada convencional. Uma história riquíssima em detalhes históricos, em muitos momentos me vi fascinada com cada fato descrito pela autora, assim como a gama de conhecimento retratado em cada página lida. Um romance de época, que em grande maioria foca apenas no romance e esquecem de que para fundamentar os fatos precisam de um estudo para formar um contexto histórico complexo, e não apenas mais um livro banal.
Os personagens são fortes e autênticos, fazendo o leitor viver e se apaixonar por todas as aventuras e momentos marcantes do casal.

A autora foi muito feliz em todo o contexto, me fazendo entrar em questionamento do por quê ainda não tinha lido um livro seu. Agora estou aqui apaixonada por romances de época e louca pelos outros livros da série.

 #SomosTodosPedrAzul

Interessados segue link da Editora PedrAzul:



sexta-feira, 28 de abril de 2017

Resenha Crítica do livro "O Jardim das Rosas Submersas"

Sinopse: O Jardim das Rosas Submersas é belo à primeira vista e ao encantar-se com os diferentes tons de vermelho, o retorno à realidade não será tarefa simples.
As pétalas luzidias e convidativas o transportarão a um universo repleto de criaturas fantásticas, onde fantasmas, lobisomens, vampiros, bruxas, anjos, demônios e uma infinidade de seres notáveis dividirão espaço com a mais sombria condição humana; a loucura.
Este é um Jardim plantado pouco a pouco ao longo dos anos. Prepare-se para um grande passeio! Contemple as Rosas, colha-as se for da sua vontade. Tenha cautela, porém. Não se esqueça dos espinhos.

Há contos sobre vampiros, lobisomens, pessoas com depressão, ou até mesmo lendas “urbanas”, que lembram o folclore brasileiro.

Trata-se de um livro de pequenos contos. Alguns com mais páginas, outros com apenas uma. Confesso que não é meu tipo favorito de livro, porque gosto de histórias longas e sequências. Mas é um bom livro para passar o tempo, ler a caminho do trabalho, ou até mesmo para aquela ressaca literária, onde você não quer ler nada longo, só quer curtir uma boa história, sem ficar sofrendo por ela.

A escrita da autora Suzy Ramone é gostosa, daquelas que prende o leitor, que não o deixa partir. Foi exatamente o que me aconteceu, uma leitora eclética, mas que não curte muito livro de contos.

Indico para quem gosta da literatura nacional e quem está cansado de ler somente romances hots. Também indico para quem gosta de se surpreender e claro, quem gosta de contos!

Por Stella Campos

quinta-feira, 27 de abril de 2017

ENTREVISTA LUNÁTICA - AUTORA DANI ASSIS



 NO DE FRENTE COM AS LUNÁTICAS A AUTORA DANI ASSIS

Dani Assis tinha nove anos quando entrou pela primeira vez numa biblioteca. A professora pedia para que escolhesse um novo livro a cada semana. A partir daí, ler se tornou sua brincadeira favorita. Vive em São Paulo, com seu amado marido, filho e seus animais de estimação; e descobriu na escrita sua principal fonte de paz e calmaria. “É só fechar meus olhos e deixar minha mente vagar por quanto tempo desejar. E quando abro os olhos, sem pressa, devagar, uma nova história começa a se formar”. Dani Assis


ENTREVISTA LUNÁTICA POR: BLOGUEIRA SCAR MIRANDA

1- Quando começou a escrever? Resposta: Ainda na infância escrevi minha primeira história no colégio. Depois disso a leitura se tornou parte integrante da minha vida. Mas, só três anos atrás decidi voltar a escrever. 2- De onde vem os personagens? De alguma forma se relacionam com alguém que conhece? Resposta: Meus personagens vêm do meu âmago, nenhum deles são baseados em pessoas reais, mas todos eles são baseados no que vejo, ouço e sinto em todos os anos vividos por mim. 3- Qual seu livro e autor (a) favorito (a)? Resposta: Injusto seria eu citar apenas um autor, ou obra. Já que sou apaixonada por muitos e muitos livros e autores nacionais e internacionais, clássicos e contemporâneos. Mas, vou citar dois dos meus clássicos favoritos que é Orgulho e Preconceito da Jane Austen e Lucíola de José de Alencar. 4- Como você reage com a atenção das leitoras, ainda é difícil se acostumar com as pessoas chegando até você por conta do livro que escreveu? Resposta: Não diria difícil, mas surpresa. É muito gratificante receber o carinho de tantas pessoas que há dois meses nem sabiam que eu existia e agora estão ao meu lado diariamente, acompanhando todo o meu trabalho. 5- Seu livro físico está em pré-venda, está muito ansiosa? Resposta: Muito ansiosa, muito mesmo. Não vejo a hora de tê-lo em minhas mãos e nas mãos das leitoras, saber que terão um pedacinho de mim em seus lares, é muito emocionante para mim. 6- Para quem ainda não conhece o livro, o que você considera um diferencial na sua escrita? Resposta: Gosto de passear pelos gêneros quando escrevo, não sou adepta de me fixar em apenas um para criar, por isso minhas histórias surpreendem com a mistura do drama, suspense, paixão e amor. Quem lê logo percebe que minha escrita se diferencia por esse conteúdo que proporciona uma leitura dinâmica e envolvente. 7- Você já está escrevendo um novo livro. O que podemos esperar dele? Resposta: Podem esperar que será um livro inesquecível com um mocinho daqueles que queremos levar para casa a qualquer custo. 8- Quais suas maiores dificuldades? Resposta: Na vida são muitas, uma delas é conseguir fazer da escrita minha única fonte de renda, mas no Brasil está cada vez mais difícil, o trabalho de cunho intelectual não é visto como algo que mereça ser recompensado financeiramente, fico extremamente triste quando vejo as pessoas dizendo que escritor deve apenas escrever por amor, por que é o que fazemos acima de tudo escrevemos por amor, mas precisamos viver como qualquer outro trabalhador. Já dizia minha vozinha que amor não enche barriga . 9- Qual seu maior sonho? Resposta: Poder escrever pelo resto da minha vida. 10- O que acha do grupo Lunáticas Por Romance? Resposta: O grupo é incrível, une autores e leitores com muita fluidez, dinâmico, divertido, às vezes “treteiro” e é isso que o torna tão atraente. #amodemais


CONHEÇA MAIS DO TRABALHO DA AUTORA

https://www.amazon.com.br/Alpha-Sedu%C3%A7%C3%A3o-Conquista-Dani-Assis-ebook/dp/B01MUXIMVN/ref=sr_1_1?s=digital-text&ie=UTF8&qid=1486993490&sr=1-1&keywords=DANI+ASSIS



Alpha é a primeira letra do alfabeto grego, o que significa que o elemento que tem essa designação tem uma elevada capacidade de sedução e conquista. Emanuelle Ferraz é obrigada a mudar de sua cidade natal após o termino conturbado de um relacionamento abusivo. Ela sai em busca de uma vida melhor e uma boa colocação no mercado de trabalho. Ela é designada a trabalhar diretamente com Bruno Munir. Ele, sempre muito competente e articulado, tem um relacionamento conturbado com a ardilosa Samanta Gouveia. Eles são amigos desde os tempos de faculdade, e vivem um tipo de relação aberta que soa no mínimo estranha para todos. Samanta, que é uma mulher altiva e decidida, só não permite que Bruno se envolva emocionalmente com outra nenhuma mulher. Mas o desejo que Bruno nutre por Emanuelle aumenta a cada dia, até se tornar insuportável e a paixão entre eles explodir. Agora, Bruno e Ema vão precisar de muita sorte e astúcia para conseguir se livrar das diversas armadilhas criadas por aqueles a sua volta. Uma história emocionante e envolvente entre duas pessoas que lutam para deixar o passado para trás e viver uma paixão que para muitos não deveria existir.




Acompanhe a autora nas redes sociais:

Instagram: @daniassis_autora 

https://www.facebook.com/oficialdaniassis/


RESENHA LUNÁTICA - CONTO " JAGUAR "


RESENHA LUNÁTICA

CONTO: JAGUAR  ( HOMOERÓTICO + 18 )
AUTOR: TOM ADAMZ
EBOOK – AMAZON 2017


SINOPSE

Jaguar é um homem bem sucedido nos negócios, descrente do amor e em busca de prazer. Quando June, um cantor porto-riquenho de crescente sucesso estrela a campanha de sua empresa, a atração é imediata. Dois homens maduros e bem sucedidos dispostos a tudo para dançarem no jardim do prazer. Amor ou sexo?


RESENHA E CONSIDERAÇÕES
Um conto extremamente instigante, chocante e avassalador, um conto de amor e entrega de dois homens apaixonantes que não tem nenhum pingo de medo ao se entregar um ao outro. É assim que o autor mais uma vez me laça por sua escrita magnífica e simplicidade em narrar os fatos, na maioria dos contos homoeróticos, muitos autores tem medo de encarar o tabu e fazer uma história de duas pessoas do mesmo sexo, ter o mesmo fascínio que a maioria dos contos héteros. Mas nesse caso estamos falando de Tom Adamz aquele que sabe quebrar tabus sem perder a classe ou denegrir sua escrita.


Para quem não teve ainda a oportunidade de conhecer um dos muitos trabalhos do autor, não perca mais tempo!

RESENHA LUNÁTICA - MEU QUERIDO MEIO IRMÃO



RESENHA LUNÁTICA


LIVRO: MEU QUERIDO MEIO IRMÃO
AUTORA: PENELOPE WARD
EDITORA: PANDORGA – 2016
GÊNERO: NEW ADULT
Nº DE PÁGS: 263



SINOPSE:
Não é normal desejarmos alguém que nos atormenta. Quando meu meio-irmão, Elec, se mudou para nossa casa, eu não estava preparada para lidar com um cara tão idiota. Odiei o fato de ele ter descontado sua raiva em mim porque não queria estar aqui. Odiei ele ter trazido garotas da escola para seu quarto. Mas o que mais odiei foi o modo indesejável que meu corpo reagia a ele. 
A princípio, pensei que tudo o que ele tinha a seu favor era o corpo musculoso e tatuado e o rosto perfeito. Mas as coisas começaram a mudar entre nós, e tudo teve um desfecho em uma noite inesquecível. No entanto, do mesmo modo que Elec entrou na minha vida, logo voltou para a Califórnia. Passaram-se anos desde a última vez que o vi. Quando a tragédia atingiu nossa família, tive que encará-lo novamente. E, diabos, o adolescente que me deixou louca se tornou o homem que destruiu o resto de sanidade que havia em mim. Senti que meu coração estava prestes a ser partido. De novo.
 

RESENHA


Assim que comecei a ler o livro senti que era mais um romance clichê, como aquela história de amor proibido entre meio irmãos, mas estava enganada, me apaixonei completamente pelos personagens fortes. Greta de fraca não tem nada e assim que viu Elec pela primeira vez saiba que enfrentaria uma grande batalha, porém ela se apaixonou de cara pelo escroto do seu meio irmão. Com o objetivo de infernizar a vida de sua irmãzinha, ele tenta mostrar seu pior lado e descontar todo seu ódio pelo seu pai. Com o decorrer da história eles se apaixonam e um dia antes de sua partida Greta se entrega para Elec sabendo que nunca mais poderia vê lo outra vez em sua vida, anos se passaram e no funeral de seu padrasto eles se reencontram com vidas completamente diferente, isso era o que eles achavam, porém o destino estava reservando algo muito maior para ambos.

CONSIDERAÇÕES DA BLOGUEIRA


Se você quer ter uma leitura gostosa e surpreendente antes de dormir, ou até mesmo dá alguns suspiros, esse é o livro. A autora vem com uma carreira de livros clichês, porém são histórias que cativam seus leitores, que a cada lançamento correm para adquirem os mesmos.
Então venha se apaixonar também por se meio irmão que beira ser o pecado em pessoa. Se Greta não conseguiu resistir imagina nós leitoras periguetes literárias. Kkkkk







quarta-feira, 26 de abril de 2017

Entrevista Lunática- Autora Nahra Mestre


Entrevista Lunáticas por Romance

01- Seu nome completo e o título do seu livro (Todos que tiver) 
Nahra Mestre

Livros:
Box 2 em 1 - Não Pare de Sonhar + Acordei! E Agora?
Quem nunca fechou os olhos e mesmo consciente conduziu seus pensamentos para lugares onde queria estar e coisas que queriam fazer?
Iza é uma mulher forte e decidida. Praticamente mãe solteira, compartilha seus momentos entre seu filho Léo e uma ONG que fundou junto com sua avó. Sua vida romântica se resume a um relacionamento imaginário.
Eduardo é um milionário empresário do ramo do minério. Ficou viúvo aos vinte e dois anos e dedica sua vida ao trabalho e a sua filha Nina. A amizade entre seus filhos fizeram com que eles se aproximassem.
Será possível Iza realizar tudo que projeta em seus devaneios conscientes?
https://www.amazon.com.br/dp/B01AJBDGF0

 Até que a Vida nos Separe
Cinco vidas...
Cinco mulheres...
Cinco amigas de infância que seguiram caminhos totalmente diferentes, caminhos que acabaram se cruzando e se entrelaçando após a abertura de um baú de lembranças...
Um baú onde depositaram suas metas, desejos, sonhos e o que queriam para o seus futuros.
Quinze anos depois, se reúnem para descobrir o que haviam guardado.
Apesar de estarem afastadas, no reencontro, além dos questionamentos que a abertura do baú acarreta, elas descobrem que tem que lidar com algo muito maior, algo que poderá mudar o futuro de todas...
Uma história de amor, amizade e superação.
 https://www.amazon.com.br/dp/B01K3ATIGS/

02- Há quanto tempo vc escreve? 
Escrevo desde 20 de fevereiro de 2015.

03- De onde busca inspiração?
Minha inspiração vem da observação de pessoas, de conversas, da vida em geral.

04- Quais as dificuldades enfrentou ou enfrenta? 
A literatura no Brasil é muito complicada, principalmente como autor independente. É matar um leão por dia e tem dia que a gente desanima, mas o negócio é respirar fundo e tentar outra vez. Acho que vale a pena tentar enquanto as palavras tocarem o coração das pessoas.

05- Qual seu livro e autor favorito?
Amo livros que me fazem suspirar. Não costumo cultivar predileções, cada momento da vida, um livro, uma música, um filme. Ultimamente tenho lido livros técnicos e estou apaixonada por um autor nacional que chama Raimundo Carrero, em especial Os Segredos da Ficção.

 06- Um gênero que você jamais escreveria 
Pelos meus princípios acho que jamais romantizaria qualquer tipo de abuso. Mas é difícil determinar um gênero, a Nahra de hoje não é a mesma de ontem e certamente não será a de amanhã, então...

07- Seus futuros projetos 
Estou escrevendo um livro novo, experimentando escrever de uma maneira diferente. E tenho mais dois em mente.

08- O que acha do Lunáticas por Romances?
O Lunáticas é um grupo que tenho um carinho especial, não só pelas adms, mas pelas Lulus, pelo conteúdo... Tenho uma gratidão eterna para o grupo que me abriu as portas.
Livros:
Certas Escolhas (ebook e físico)
Pretérito Imperfeito (wattpad)

Por Stella Campos

Entrevista Lunática: Rebeca Crysthine

Mais uma entrevista pra vocês:

Autora: Rebeca Crysthine

Quantos livros você já escreveu?
Certas Escolhas (ebook e físico)
Pretérito Imperfeito (wattpad)

Há quanto tempo você escreve?
Escrevo há 11 anos.

De onde busca inspiração?
Minhas inspirações vêm de acontecimentos cotidianos ou de coisas que ocorrem comigo mesma. Certas Escolhas é um grande exemplo que surgiu durante uma viagem de 40 minutos dentro de um ônibus metropolitano rsrs

Quais suas maiores dificuldades?
 As maiores dificuldades são os bloqueios criativos e o compromisso com os leitores, que nos últimos tempos não estou conseguindo cumprir.

Qual sua autora favorita?
 Autora amada e favorita Sylvia Day e todos seus livros. Especialmente Crossfire, onde como ela, me inspirei no Henry Cavill para fazer Derick Smitt.

Qual gênero não escreveria?
 Aventura, terror e suspense. (Se puder ser mais de um)

Quais seus futuros projetos?
Tenho alguns projetos feitos, mas não publicados que são:
Confissões de uma Amante
Amor em Londres
Sete Dias em Paris
Um projeto não escrito, mas rascunhado é um romance de época, mas nem título tem ainda rsrsrs

O que acha do Lunáticas por Romances?
 Amooooooo. O melhor grupo que participo entre todos os 70 kkkkk Tento entender todos os dias como vcs ainda não deram um jeito de ficar ricas com ele pq simplesmente amo o grupo e o que vcs fazem por nós, integrantes. Muito obrigada por levarem tão a sério esse projeto que só tem a crescer ainda mais. Parabéns!

Por Stella Campos

Entrevista Lunática: Elysanna Louzada

Olá, meninas. "Hoje tem De frente com as Lunáticas", a autora. Vamos a biografia?

Professora do Ensino Fundamental e Médio por 10 anos, formada em Letras-Inglês-Literatura, Elysanna Louzada iniciou sua carreira como escritora em 2011. Lançou cinco livros: Herdeiros do Trono - Vol. 1, Círculo de Fogo – Vol. 2, Corações em Guerra – Vol. 3 (Trilogia Herdeiros do Trono); Uma Lição de Amor; Eu Sou O Galo (Paulinas), na Bienal do Livro Rio 2015. Participou da coletânea de contos Grandes Histórias da Bíblia (Seleções), que reuniu autores como Zuenir Ventura e Ignácio Loyola Brandão. A autora ainda publicou cinco títulos da série Histórias Bíblicas para Crianças, pelas Seleções: O que é a Fé?, Amigos de Jesus, O Primeiro Natal, A Bondade de Deus e Jesus Alimenta a Multidão. Suas obras podem ser encontradas em diversas plataformas, como Amazon e Wattpad, e em lojas físicas.

DE FRENTE COM AS LUNÁTICAS

Quais livros escreveu?
 Uma Lição de Amor, Herdeiros do Trono vol1, Círculo de Fogo vol2 e Corações em Guerra vol3

Há quanto tempo escreve?
Escrevo há 6 anos

Onde busca inspiração? 
Busco inspiração na vida real, gosto de falar sobre as relações humanas e temperá-las com uma boa dose de romance. Gosto de ouvir músicas enquanto escrevo.


Quais seus livros favoritos?
Tenho vários livros favoritos, Entre eles Orgulho e Preconceito, de Jane Austen; Outlander, de Diana Gabaldon e Jogos Vorazes, de Suzanne Collins...

Qual gênero não escreveria?
Acho que não escreveria terror, não curto esse estilo

Quais os futuros projetos?
Tenho um romance de época no forno e já estou trabalhando em outro

O que acha do Lunáticas por Romances?
Acho o grupo incrível. Super animado e alto astral.

Entrevista realizada por Stella Campos

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Entrevista Lunática - Autora Silvia Spadoni








A paulista Silvia Spadoni é formada pela Faculdade de Direito do Largo de São Francisco – USP e trabalhou como advogada durante grande parte de sua vida. A escrita faz parte de um projeto de reinvenção pessoal. É uma apaixonada por livros, como ela mesma se define, e uma leitora bem vivida. Começou cedo quando ganhou do seu pai as coleções de Julio Verne e As 1001 Noites, com as aventuras de Sherazade, presente que ela guarda até hoje. Leu os clássicos nacionais, Agatha Christie – ela adora Hercule Poirot –, Sidney Sheldon, Judith Krantz e também é fã de Jane Austen e das irmãs Brontë. Nos últimos tempos descobriu os autores suecos e dinamarqueses, como Stieg Larsson, por exemplo. Ama viajar e narra em seus romances o que conheceu, embora retroceda alguns séculos para descrevê-los, pois em um livro de época é mais fácil ser romântica, admite. A autora tem planos de morar um tempo no exterior, mas continuar a escrever. É casada há 31 anos, tem três filhos e um cão schnauzer muito amado de 13 anos. Além de Um Amor Conquistado, são dela Um Amor Inesperado e Um Amor Apaixonado.


DE FRENTE COM AS LUNÁTICAS


1. Seu nome completo e o título do seu livro (Todos que tiver)
Silvia Spadoni
Um Amor Conquistado
Um Amor Inesperado
Um Amor Apaixonado


2- Há quanto tempo vc escreve?

Há muuuuito tempo, sou (ou melhor fui) advogada! kkkkkk
Romances há apenas um ano.


3- De onde busca inspiração?

Lugares me inspiram muito! Personalidades históricas também!


4- Quais as dificuldades enfrentou ou enfrenta?

Uma dificuldade prática, que me atrasa muito, ocorre quando demoro para sentir a personalidade e achar o tom certo de um personagem. Como escrevo de forma intuitiva, sem um planejamento, às vezes isso acontece. Tenho o hábito de sempre começar o trabalho relendo o que escrevi no dia anterior, e por vezes, percebo que tudo ficou artificial. Isso acontece quando o personagem não está definido. Quando isso ocorre costumo apagar e recomeçar.


5- Qual seu livro e seu autor favorito?

Essa é difícil! Gosto de muitos autores e de várias obras. A cada época da vida elegi um como favorito. Mas tenho um personagem que adoro: Herculet Poirot! Agatha Cristie não é minha autora favorita, mas seu personagem com certeza é.


6. Um gênero que você jamais escreveria?

Distopia, Ficção Científica.


7. Seus futuros projetos...

Flora! Estou amadurecendo a história dessa pianista clássica que leciona para as filhas da nobreza para poder sustentar-se. Ainda é um projeto bem embrionário, tenho muito a trabalhar nele.


8- O que acha do Lunáticas por Romances?

Acho um grupo divertidíssimo! Pelo fato de ser um grupo só de garotas, todas ficamos bem a vontade para rir, brincar, desabafar e ... falar de livros, claro!



FIQUEM POR DENTRO DE TODOS OS LANÇAMENTOS DA AUTORA:

INTERESSADOS EM ADQUIRIR SITE DA EDITORA: www.pedrazuleditora.com.br



UM AMOR CONQUISTADO (SAI 15 A 20 DE ABRIL). EM PRÉ-VENDA.
O primeiro livro da série Amores
Ainda criança, Sophia foi levada para a Inglaterra para fugir da perseguição e do terror impostos pela Revolução Francesa. Com medo de ser descoberta, nunca revelou sua origem nobre, mas manteve viva a esperança de reencontrar sua família. Após o falecimento da madrinha, Sophia se vê obrigada a buscar trabalho para sobreviver e, por isso, se candidata à vaga de preceptora de Louise, a sobrinha órfã do conde de Buckington, um nobre conhecido pela sua frieza e arrogância. Em uma brincadeira do acaso, ela se vê diante da possibilidade de voltar à França sob a proteção do nobre inglês e de descobrir o que aconteceu com seus pais. Mesmo avisada sobre os riscos, ela decide seguir em frente, ainda que isso signifique fingir ser a noiva do conde de gelo. Edward é um homem frio e arrogante, disposto a qualquer coisa para se vingar do francês que destruiu seu irmão, até mesmo embarcar para a França em companhia de uma desconhecida, apresentando-a como sua noiva. Ele conhece os riscos da empreitada, só não está preparado para os sentimentos contraditórios que invadem seu coração.


UM AMOR INESPERADO. PRÉ-VENDA EM 15 DE ABRIL (SAI 15 A 20 DE MAIO)
O segundo livro da série Amores
Na antiga Inglaterra, Amélia embarca em um plano mirabolante com o único objetivo de se livrar do seu terrível tutor: casar-se com um total desconhecido e, ainda por cima, prisioneiro da Coroa Britânica à espera da execução. O plano parece dar certo. Ela se considera viúva e já não sente mais a presença obscura de seu guardião. Mas o mundo de Amélia vira de ponta-cabeça quando lorde Cunnington, o herdeiro até então ignorado do conde de Hartford, assume as propriedades e é recebido como herói na sociedade local. Tudo estaria bem, não fosse o fato de ele ser o prisioneiro que ela havia se casado no submundo daquela fétida prisão. Amélia, agora, precisa enfrentar a vingança do homem cujo nome ela comprou e os novos sentimentos que a simples presença daqueles olhos negros desperta nela.


UM AMOR APAIXONADO. PRÉ-VENDA EM 15 DE MAIO (SAI 15 A 20 DE JUNHO)
O terceiro livro da série Amores
Prudence não é prudente. Ao contrário do que seu nome indica, ela anseia por aventura. Dona de um espírito livre e apaixonado, ela é a menos tradicional filha de um duque inglês. Desde menina sentia uma vontade imensurável de conhecer os mistérios do Oriente e sua amizade com o príncipe Bahman Al Kaled, iniciada ainda na infância de forma inusitada, a fez desenvolver verdadeira obsessão pela Arábia. Quando surge a oportunidade perfeita para realizar seu sonho de viajar até lá, vê-se obrigada a ficar sob a tutela e proteção de um príncipe arrogante, insuportável e irresistível! 
Ao contrário do irmão mais velho, o príncipe Táriq odeia o povo inglês, mas o destino coloca sob sua responsabilidade justamente uma nobre inglesa, que acredita ser a síntese da mulher fútil e manipuladora que ele tanto despreza. Mas seu país precisa de uma aliança política e cabe a ele evitar que a ousada filha do duque de Barrington seja sequestrada em sua viagem a caminho do palácio Madinat al-Zahr. Tudo teria se resolvido em poucos dias se uma terrível tempestade de areia não tivesse atravessado o caminho deles. Após dias e noites sozinhos no deserto, a reputação de Lady Sinclair fica irremediavelmente comprometida e ele terá de encarar seu pior pesadelo: um casamento, pelo bem de seu país e pela honra da jovem.
Será que de um casamento forçado pode nascer um amor apaixonado?






sábado, 15 de abril de 2017

Confira a lista de lançamentos do mês de Abril da Editora Coerência

Oi pessoal, hoje é dia de postagem dos lançamentos da Editora Coerência. Vamos lá?

- A ESTRELA MAIS BRILHANTE – SHIRLEY RAMOS (SUPER QUERO)
LINKS:
ONDE COMPAR: https://ed-coerencia.lojaintegrada.com.br/a-estrela-mais-brilhante-shirlei-ramos
SKOOB: https://www.skoob.com.br/livro/670053ED671906
FACEBOOK: https://www.facebook.com/shirlei.ramos.5


SINOPSE:
Um conto de fadas moderno…
Letícia sempre foi considerada o “patinho feio” de Juriti — uma das cidades mais populosas do interior de São Paulo. Mas os inúmeros episódios de bullying, sofridos na adolescência, só a tornaram mais forte e determinada a vencer a pobreza e a realizar o sonho de ser pediatra.
No entanto, aos 23 anos, ela vê seus planos se estilhaçarem quando sua irmã, com quem era muito unida, morre e, logo em seguida, Letícia é demitida da empresa na qual trabalhou por cinco anos.
A única chance de recuperar seus sonhos será aceitando um trabalho na casa do prefeito da cidade, Ademar Castro Lopes. O problema é que Tomaz Castro Lopes, o herdeiro político de Ademar, também mora ali e nem imagina que a garota é secretamente apaixonada por ele há anos.
Novas experiências e acontecimentos inesperados poderão mudar a vida de Letícia para sempre. Porém, ela não estará sozinha nessa jornada: terá a companhia da estrela mais brilhante do céu.

- A VILA DOS PECADOS – SORAYA ABUCHAIM
LINKS:
ONDE COMPRAR: https://ed-coerencia.lojaintegrada.com.br/a-vila-dos-pecados
FANPAGE: https://www.facebook.com/sorayaabuchaimescritora/
SKOOB: https://www.skoob.com.br/livro/631577ED632860

SINOPSE: Final do século XIX. Enquanto o mundo passa por transformações importantes, existe uma vila inóspita, que vive à margem da civilização e que tem as suas próprias e estranhas leis.
Lendas escuras a rondam e histórias macabras sobre Ponta Poente povoam o imaginário popular.
Quando o padre Alfonso Anes, um exemplo vivo de amor e resignação, chega à vila para substituir o seu antecessor, depara-se com segredos que o farão duvidar da própria sanidade, e uma onda de mortes trará o caos para aquele lugar ermo.
Quem estará a salvo? Serão estes segredos o fim de quem os esconde? O que esse universo tenebroso revelará para o mundo?
Um suspense sinistro, que envolverá completamente o leitor e o levará a compartilhar dos segredos da Vila dos Pecados.


- A DOR INSPIRA – MARCELA CARVALHO
LINKS:
ONDE COMPRAR: https://ed-coerencia.lojaintegrada.com.br/a-dor-inspira-marcela-carvalho
SKOOB: https://www.skoob.com.br/livro/670293ED672168
FACEBOOK DA AUTORA: https://www.facebook.com/marcella.carvalho.16
SITE DA AUTORA: http://marceladecarvalhotextos.blogspot.com.br/



SINOPSE:
Alícia é uma jovem de 18 anos, solteira, cheia de planos, sonhos e imensamente apegada à sua família, mas que desde nova enfrentou diversos obstáculos na vida, começando pela separação de seus pais, após isso sofreu bullyinng no colégio ao enfrentar um processo de enfermidade, necessitando de um tratamento que transformou a sua vida e mudou muitas coisas ao seu redor, principalmente sua essência interior. Ela relata suas aventuras com amigos e primos. Além do mais, um mar de reflexão irá se abrir em sua mente, após se aprofundar nas aventuras amorosas e de uma amizade que significam muito para ela e que trouxeram decepções dolorosas, mas também que traz uma experiência de tirar o fôlego e de inspirar quem já sofreu por um "amor". Sofreu bastante para tornar quem se tornou, mas acredita que toda a dor foi especial, pois ela acreditava que a dor era uma contribuição para o seu amadurecimento pessoal e que a dor não é ruim, mas que ela nos torna melhores do que possamos ser e nos fazer enxergar a vida de uma maneira extraordinária, pois a dor é a inspiração para amar os bons momentos e ultrapassar os momentos ruins de cabeça erguida acreditando em dias melhores, sempre. E foi assim que ela encontrou a sua própria felicidade, na dor e sofrimento.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

A Cultura do Beijo



                                                       


                                                           A CULTURA DO BEIJO


Um beijo (do latim basium) é o toque dos lábios em outra pessoa ou objeto. Na cultura ocidental é considerado um gesto de afeição. Entre amigos, é utilizado como cumprimento ou despedida. O beijo nos lábios de outra pessoa é um símbolo de afeição romântica ou de desejo sexual - neste último caso, o beijo pode ser também noutras partes do corpo. Ainda há o chamado beijo de língua, em que as pessoas que se beijam mantêm a boca aberta enquanto trocam carícias com as línguas.
Os mais antigos relatos sobre o beijo remontam a 2500 a.C., nas paredes dos templos de Khajuraho, na Índia. Diz-se que na Suméria, antiga Mesopotâmia, as pessoas costumavam enviar beijos aos deuses. Na Antiguidade também era comum, para gregos e romanos, o beijo entre guerreiros no retorno dos combates.
Era uma espécie de prova de reconhecimento. Aliás, os gregos adoravam beijar. Mas foram os romanos que difundiram a prática. Os imperadores permitiam que os nobres mais influentes beijassem seus lábios, e os menos importantes as mãos. Os súditos podiam beijar apenas os pés. Eles tinham três tipos de beijos: o basium, entre conhecidos; o osculum, entre amigos; e o suavium, ou beijo dos amantes.
Na Escócia, era costume o padre beijar os lábios da noiva ao final da cerimônia. Acreditava-se que a felicidade conjugal dependia dessa benção. Já na festa, a noiva deveria beijar todos os homens na boca, em troca de dinheiro. Na Rússia, uma das mais altas formas de reconhecimento oficial era o beijo do czar.
No século XV, os nobres franceses podiam beijar qualquer mulher. Na Itália, entretanto, se um homem beijasse uma donzela em público, era obrigado a casar imediatamente. No latim, beijo significa toque dos lábios. Na cultura ocidental, ele é considerado gesto de afeição. Entre amigos, é utilizado como cumprimento ou despedida; entre amantes e apaixonados, como prova da paixão.
Mas é também um sinal de reverência, ao se beijar, por exemplo, o anel do Papa ou de membros da alta hierarquia da Igreja. No Brasil, D. João VI introduziu a cerimônia do beija-mão: em determinados dias o acesso ao Paço Imperial era liberado a todos que desejassem apresentar alguma reivindicação ao monarca. Em sinal de respeito, tanto os nobres, como as pessoas mais simples, até mesmo os escravos, beijavam-lhe a mão direita antes de fazer seu pedido. Esse hábito foi mantido por D. Pedro I e por D. Pedro II.

O que essa língua está fazendo na minha boca? E agora, o que eu devo fazer com a minha? O primeiro beijo causa dúvidas e desencontros. Os sentimentos passam longe do romantismo e vão do susto ao desconforto, da esquisitice ao arrependimento. Para a maioria de nós, a sensação única dessa carícia acaba tornando a insistência quase obrigatória. Depois de algum treino, o susto se torna frio na barriga, o desconforto prazer, a esquisitice estímulo sexual e o arrependimento uma inquietação à espera do bis. Mas, se essa enxurrada de sensações ilustra o primeiro beijo de quase todos nós, quais teriam sido as motivações do primeiro beijo de nossos ancestrais? Ou seja: como chegamos à invenção desse hábito bizarro? (Ainda mais numa época sem escovas de dentes nem fio dental.)
Se o primeiro beijo foi dado na pré-história, ninguém sabe, ninguém viu (ou, pelo menos, ninguém registrou). Não há desenhos em cavernas, artesanatos ou pinturas em tecidos que indiquem o costume de encostar os lábios entre nossos ancestrais. Nem a civilização egípcia, prodigiosa em suas expressões artísticas e provas documentais, que retratou em pinturas e esculturas seus hábitos de caça, alimentação e até suas relações sexuais, deixou qualquer traço que pudesse sugerir um beijo.
As mais antigas referências ao comungar de bocas vieram do Oriente, mais precisamente dos hindus. Há um registro de aproximadamente 1200 a.C., no livro védico Satapatha (textos sagrados em que se baseia o bramanismo), recheado de sensualidade: “Amo beber o vapor de seus lábios”. Mais explícito e deliciosamente malicioso, o Mahabarata (poema épico com mais de 200 mil versos, compilados em aproximadamente 1000 a.C.) descreve: “Pôs a sua boca em minha boca, fez um barulho e isso produziu em mim um prazer”.
Algum tempo depois, outro texto indiano, o Kama Sutra, um compêndio sobre os preceitos do prazer escrito entre 400 e 200 d.C., apresentou uma versão mais amadurecida sobre o assunto, com cerca de 200 passagens detalhando a prática, a moral e a ética do beijo. Verdadeiro manual do usuário, o texto descreve, por exemplo, os três tipos de beijo a que uma moça da época tinha acesso: o beijo “nominal”, no qual só poderia tocar a boca do amante com os lábios; o “palpitante”, que permite movimentar apenas o lábio inferior, e havia o de “toque”, no qual a moça está autorizada a passar a ponta da língua nos lábios do namorado.
A importância do Kama Sutra não é só a de fornecer talvez o primeiro glossário sobre o tema. Ele é a principal referência para determinar a idade do beijo. Segundo o antropólogo americano Edgar Gregersen, em seu livro Práticas Sexuais – A História da Sexualidade Humana, o texto tem um importante papel histórico, pois dá a pista de que o costume de beijar representa uma continuação de tradições muito anteriores. “O Kama Sutra está repleto de referências históricas e geográficas que remetem a tradições antigas. A partir dele podemos rastrear as origens do beijo e concluir que ele é mais velho que a civilização hindu e mais jovem que a pré-história”, afirma Gregersen.

Alexandre, o Grande beijador
Se os hindus foram pioneiros ao descrever suas aventuras bucais, os invasores de suas terras devem ter sido os primeiros difusores da prática: os soldados de Alexandre, o Grande. Eles dominaram parte da Índia, entre 327 e 325 a.C., e, quando partiram para outras terras, levaram na bagagem esse ensinamento lascivo. A partir de então, por onde passavam, em sua trilha de guerras e conquistas, espalharam o hábito de beijar.
Foi mais ou menos assim – entre tapas e beijos –, e por essa época, que o hábito estreou em grande estilo na capital do mundo antigo: Roma. Lá, com os requintes do tempero local, ele desmembrou-se em três versões: o osculum, o beijo de amizade; o basium, mais sensual, entre homem e mulher; e o savium, que o poeta Ovídio definiu como “de língua, voluptuoso e vergonhoso”. Outro poeta romano, Catulo, descreveu-o como “mais doce do que o doce da ambrosia”. Devia ser bom mesmo.
Se entre os romanos o beijo manteve seus contornos eróticos, para os gregos ele tinha funções protocolares, quase burocráticas: beijava-se para selar um acordo e para demonstrar respeito. Os cidadãos de mesmo nível social encostavam os lábios. Se um deles era de uma casta inferior, o beijo era no rosto. E quando a diferença social era ainda maior, os lábios de um desciam aos pés do outro.

Proibido e perigoso: ainda melhor
Se até então tudo era festa, a partir do século 4 os beijoqueiros passaram a enfrentar uma crescente oposição: a da Igreja Cristã. Incomodada com a sensualidade do beijo e preocupada em eliminar esse símbolo do Império Romano, ela o instituiu como um gesto religioso, de adoração às imagens dos santos e louvação a Deus. Nos anos de trevas que se seguiram na Europa, ao longo da Idade Média, o beijo permaneceu ilícito e perigoso, acusado de propagar doenças do corpo e da alma. Mas, mesmo com todas as restrições, ele resistia e ganhava adeptos. Tanto que, no século 12 o Papa Inocêncio III travaria uma verdadeira cruzada contra o inimigo, banindo-o dos ritos religiosos e proibindo-o na vida mundana. “Beijo com objetivo de fornicação é pecado mortal, mesmo que a fornicação não se consume”, dizia o édito de Sua Santidade. Tarde demais. O beijo já fazia parte dos hábitos sociais e íntimos dos casais e todos continuaram beijando mais e melhor.
No século 17, já glamourizado e muito popular nas cortes europeias, o beijo de língua, o savium dos romanos, ganhou o nome que tem até hoje: beijo francês. Na época, os puritanos ingleses ficaram impressionados com o grau de libertinagem que caracterizava o beijo em terras gaulesas. Pelas mãos da Inglaterra, os franceses ficariam para sempre conhecidos aos olhos do mundo pela volúpia com que se entregavam às carícias labiais. O curioso é que, na França, o beijo de língua ficou conhecido como beijo inglês. Mais do que revanchismo, os franceses associavam o beijo de língua à importância que os ingleses davam àquela forma de beijar, que para eles era tão comum.

FONTES DE PESQUISA: https://pt.wikipedia.org/wiki/Beijo
                                           http://super.abril.com.br/historia/historia-muitos-beijos/

segunda-feira, 10 de abril de 2017

RESENHA LUNÁTICA- CONTO : VINGADORA





RESENHA LUNÁTICA

CONTO: VINGADORA - 2017

AUTOR : TOM ADAMZ

Nº DE PÁGINAS: 41


SINOPSE:

Conto Erótico; recomendado para maiores de 18 anos.

Lyanna é uma mulher traída que busca recomeçar sua vida, esquecendo o passado com o ex-marido, Amilton. Ao encontrar-se com ele em uma academia, acaba traçando um plano para se vingar: o que lhes rende uma noite repleta de lembranças, emoções e muito sexo, além da tão desejada vingança.

Após o tão desejado ato que lhe tirou um peso das costas, a Vingadora espera pelo pior, mas quando o ex-marido a confronta, o inédito acontece: o desejo de reatar o casamento é exposto. Lyanna está disposta a lhe dar uma segunda chance? Até onde Amilton é capaz de ir para reconquistar sua ex-mulher?



RESENHA

Um conto extremamente divertido e descontraído, podendo ser comparado a um chick list. Com um enredo que prende o leitor do começo ao fim. A personagem com a idade fora do padrão imposto da maioria dos contos e livros que vemos por aí. Lyanna nos seus 35 anos, só quer vingança de seu ex marido e isso o autor soube muito bem dá ao cafajeste do Amilton. O final foi digno de Ferdinando o que foi isso?  Viadooooooooo



Super, mega recomendo esse conto irreverente.


NOTA: 09 Só pelo fato de ter me deixado com gostinho de quero mais.

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Lançamento Belinda Editora PedrAzul






A autora foi uma enorme influência para Jane Austen. A entrega será em 15 de junho. Livro com quase 500 páginas, com mais de 40 ilustrações originais. Os 100 primeiros que comprarem Belinda, na pré-venda, através do sitewww.pedrazuleditora.com.br, concorrerão a uma exemplar de A Pequena Dorrit, de Charles Dickens, edição ilustrada, que vamos lançar em agosto deste ano.

SERVIÇO:

BELINDA, de Maria Edgeworth

EM pré-venda no site www.pedrazuleditora.com.br).

Edição ilustrada originalmente.

Tamanho 16X23cm.

Brochura

Texto curto: Publicado pela primeira vez em 1801, Belinda é a história de Miss Portman, uma moça inteligente e charmosa em meio às tentações e perigos da elegante sociedade londrina da época. Enviada para Londres por sua tia casamenteira para encontrar um marido rico e com um título de nobreza, Belinda influência a vida de todos aqueles os quais têm a honra de conhecê-la. Um dos romances mais instrutivos já escritos até hoje, um manual de como ser feliz em meio às frustrações da sociedade.

SINOPSE MAIS COMPLETA, CASO TENHA INTERESSE:

Mrs. Stanhope fez de tudo até consegui que a dama mais elegante e influente de Londres, a notória lady Delacour, uma viscondessa, levasse sua última sobrinha solteira para passar uma temporada com ela. A esperança da tia era que Belinda conseguisse, com o as suas demais primas, um bom e rico marido. Belinda, então, foi jogada num tumulto social e acabou se envolvendo nos conflitos familiares da aristocrática família Delacour. Enquanto a belíssima lady Delacour tenta chamar a atenção de Clarence Hervey e outros cavalheiros para si com coquetismo, vivendo uma agitada vida social, como se o mundo fosse acabar amanhã, ela enfurece lorde Delacour, causando uma tragédia. Mas a lady esconde um grande segredo. Em meio à agitada vida social, o coração da jovem Belinda é tocado por Mr. Hervey, mas ele está comprometido com outra. Resta a Belinda se casar com Mr. Vicent, o protegido dos sóbrios e racionais Percivals.

Belinda é a história envolvente de uma jovem mulher forte, que luta para manter sua integridade, mesmo estando sob a tutela de um mau exemplo experiente na forma de uma lady elegante.

SOBRE A AUTORA

Quando Jane Austen publicou seu primeiro romance, Razão e Sensibilidade, em 1811, não havia dúvida de que era a principal romancista da época: Maria Edgeworth (1768 – 1849). Ela não foi apenas a escritora de ficção inglesa mais admirada, mas também a melhor remunerada. Numa famosa vindicação de ficção em A Abadia de Northanger, Austen cita nomes de livros, entre eles Belinda de Edgeworth, como uma daquelas obras que provaram o poder intelectual e a sagacidade dos melhores romances. A autora permaneceu como a maior romancista da Inglaterra até o início do século XIX.


Lançamento ALINA Editora PedrAzul






ALINA, amor e paixão no Brasil Colônia!
Ambientada na Bahia século XVI, com passagens em Lisboa, Alina conta a história da família Cirilo, que veio de Portugal com o intuito de ajudar na colonização do Brasil. Alina amou o jovem advogado Pedro Garcia desde a primeira vez que o viu – um grande amor, porém, proibido. Apaixonada por Pedro, com quem havia se deitado, ela é enviada pelo pai para longe, mas já levava a semente dele dentro de si. Sem escolha, longe de casa, vivendo em meio aos índios, ela conhece Naru, um mestiço com modos de fidalgo. Sozinha, carente, ela deixa-se conquistar pelo jovem belo e doce mestiço, embora nunca tenha esquecido Pedro. Amor, laços familiares, renúncias, traições e reencontros surpreendentes.
Autora
A baiana Emilia Lima é formada em Economia, mas é uma apaixonada pelas letras, principalmente pelos romances clássicos ingleses, cuja autora preferida é Jane Austen. Também é grande fã de Isabel Allende e de Gabriel Garcia Marquez. Apaixonada por viagens e cinema, Emilia adora conhecer os lugares onde os seus livros são ambientados. Dona de uma extensa biblioteca, ela tem na leitura e na escrita um de seus maiores prazeres.

Lançamento Série Amores - Editora PedrAzul


Romances de época: Um Amor Conquistado, Um Amor Inesperado e Um Amor Apaixonado, de


Romances de época: Um Amor Conquistado, Um Amor Inesperado e Um Amor Apaixonado, de Silvia Spadoni, todos amores improváveis que deram certo e as histórias são independentes.
UM AMOR CONQUISTADO (SAI 15 A 20 DE ABRIL). EM PRÉ-VENDA. O primeiro livro da série Amores
Ainda criança, Sophia foi levada para a Inglaterra para fugir da perseguição e do terror impostos pela Revolução Francesa. Com medo de ser descoberta, nunca revelou sua origem nobre, mas manteve viva a esperança de reencontrar sua família. Após o falecimento da madrinha, Sophia se vê obrigada a buscar trabalho para sobreviver e, por isso, se candidata à vaga de preceptora de Louise, a sobrinha órfã do conde de Buckington, um nobre conhecido pela sua frieza e arrogância. Em uma brincadeira do acaso, ela se vê diante da possibilidade de voltar à França sob a proteção do nobre inglês e de descobrir o que aconteceu com seus pais. Mesmo avisada sobre os riscos, ela decide seguir em frente, ainda que isso signifique fingir ser a noiva do conde de gelo. Edward é um homem frio e arrogante, disposto a qualquer coisa para se vingar do francês que destruiu seu irmão, até mesmo embarcar para a França em companhia de uma desconhecida, apresentando-a como sua noiva. Ele conhece os riscos da empreitada, só não está preparado para os sentimentos contraditórios que invadem seu coração.
UM AMOR INESPERADO. PRÉ-VENDA EM 15 DE ABRIL (SAI 15 A 20 DE MAIO) O segundo livro da série Amores Na antiga Inglaterra, Amélia embarca em um plano mirabolante com o único objetivo de se livrar do seu terrível tutor: casar-se com um total desconhecido e, ainda por cima, prisioneiro da Coroa Britânica à espera da execução. O plano parece dar certo. Ela se considera viúva e já não sente mais a presença obscura de seu guardião. Mas o mundo de Amélia vira de ponta-cabeça quando lorde Cunnington, o herdeiro até então ignorado do conde de Hartford, assume as propriedades e é recebido como herói na sociedade local. Tudo estaria bem, não fosse o fato de ele ser o prisioneiro que ela havia se casado no submundo daquela fétida prisão. Amélia, agora, precisa enfrentar a vingança do homem cujo nome ela comprou e os novos sentimentos que a simples presença daqueles olhos negros desperta nela. UM AMOR APAIXONADO. PRÉ-VENDA EM 15 DE MAIO (SAI 15 A 20 DE JUNHO) O terceiro livro da série Amores
Ao contrário do irmão mais velho, o príncipe Táriq odeia o povo inglês, mas o destino coloca sob sua responsabilidade justamente uma nobre inglesa, que acredita ser a síntese da mulher fútil e manipuladora que ele tanto despreza. Mas seu país precisa de uma aliança política e cabe a ele evitar que a ousada filha do duque de Barrington seja sequestrada em sua viagem a caminho do palácio Madinat al-Zahr. Tudo teria se resolvido em poucos dias se uma terrível tempestade de areia não tivesse atravessado o caminho deles. Após dias e noites sozinhos no deserto, a reputação de Lady Sinclair fica irremediavelmente comprometida e ele terá de encarar seu pior pesadelo: um casamento, pelo bem de seu país e pela honra da jovem.
Prudence não é prudente. Ao contrário do que seu nome indica, ela anseia por aventura. Dona de um espírito livre e apaixonado, ela é a menos tradicional filha de um duque inglês. Desde menina sentia uma vontade imensurável de conhecer os mistérios do Oriente e sua amizade com o príncipe Bahman Al Kaled, iniciada ainda na infância de forma inusitada, a fez desenvolver verdadeira obsessão pela Arábia. Quando surge a oportunidade perfeita para realizar seu sonho de viajar até lá, vê-se obrigada a ficar sob a tutela e proteção de um príncipe arrogante, insuportável e irresistível! Será que de um casamento forçado pode nascer um amor apaixonado? SOBRE A AUTORA
A paulista Silvia Spadoni é formada pela Faculdade de Direito do Largo de São Francisco – USP e trabalhou como advogada durante grande parte de sua vida. A escrita faz parte de um projeto de reinvenção pessoal. É uma apaixonada por livros, como ela mesma se define, e uma leitora bem vivida. Começou cedo quando ganhou do seu pai as coleções de Julio Verne e As 1001 Noites, com as aventuras de Sherazade, presente que ela guarda até hoje. Leu os clássicos nacionais, Agatha Christie – ela adora Hercule Poirot –, Sidney Sheldon, Judith Krantz e também é fã de Jane Austen e das irmãs Brontë. Nos últimos tempos descobriu os autores suecos e dinamarqueses, como Stieg Larsson, por exemplo. Ama viajar e narra em seus romances o que conheceu, embora retroceda alguns séculos para descrevê-los, pois em um livro de época é mais fácil ser romântica, admite. A autora tem planos de morar um tempo no exterior, mas continuar a escrever. É casada há 31 anos, tem três filhos e um cão schnauzer muito amado de 13 anos. Além de Um Amor Conquistado, são dela Um Amor Inesperado e Um Amor Apaixonado.