terça-feira, 21 de março de 2017

"Eu tive um sonho e nele estava o enredo principal do livro", afirmou o autor Célio Vieira

Imagina que legal, você ter um sonho com a estória do seu livro? Isso aconteceu com o autor Célio Vieira. Ele adora ler romances, drama e clichês adolescentes. Desde de criança, gosta de construir histórias e letras de músicas, mais nunca havia levado a escrita a sério. Sob os olhos de um anjo, foi o primeiro projeto que ele decidiu levar adiante. Natural de Uberaba, cidade de Minas Gerais, onde ainda reside, trabalha há alguns anos em uma editora e gráfica e concilia as duas profissões.

Vamos conferir a sinopse do livro?
Clarice e João Pedro são amigos desde a infância. Aos catorze anos, o que era apenas amizade se transforma num sentimento mais intenso e, apaixonados, eles decidem namorar. Tudo segue muito bem. Clarice é a princesa de João, e ele é seu príncipe encantado. Contudo, aos dezenove anos, João Pedro começa a trabalhar na empresa do pai, onde faz novas amizades e se deixa influenciar de tal modo, que passa a sair para curtir com os amigos, deixando Clarice de lado.

Dois meses após o príncipe ter virado um sapo, Clarice descobre que está grávida e, como se já não fosse difícil ter que segurar essa barra sozinha, um exame de rotina detecta que seu bebê nascerá com uma alteração genética. Nesse momento, o medo e a insegurança invadem a mente de Clarice, mas, ao mesmo tempo, a ideia de ser mãe vai enchendo o coração dessa jovem valente de amor, esperança e fé.

Olha, que sinopse instigante hein? Tenho interesse. kkkk Célio afirmou que sua inspiração para escrever são as coisas que ele vê no dia a dia. É um observador nato. "Sob os olhos de um anjo, o enredo principal veio de um sonho, no dia seguinte fiz um conto em poucas páginas, depois que resolvi transforma-lo em livro", contou.

Sua dificuldade era em não se perder na história, pois ele é muito esquecido, então qualquer coisa fugia da sua mente e nesse livro, tive que pesquisar afundo sobre os temas abordados.

Outro obstáculo que o autor enfrenta é a falta de tempo. Pois também trabalha em uma gráfica.
"Muitas vezes estou cheio de ideias, mas o cansaço fala mais alto, aí acabo enrolando para dar continuidade a estória.Tenho que ter mas disciplina em relação a isso", admitiu.

O livro de Célio está praticamente esgotado na Editora Coerência, ele comenta a sensação de ter alcançado isso: Quando escrevi a estória, na verdade nunca imaginei que ele se tornaria livro físico, pois quando escrevia, não tinha essa intenção. Estava postando pelo wattpad, então enviei o link para a Lilian Vaccaro ela é suas parceiras avaliaram o livro, e elas gostaram é então ela me fez a proposta de publicar meu livro. Não tive custo algum.E saber que estou conseguindo o meu objetivo, que sempre foi passar uma mensagem de amor, respeito, amizade e quando vejo que os comentários das pessoas que leram, eu fico radiante, custa cair a ficha. Fico muito feliz e adoro cada carinho que recebo dos leitores.

Sobre quem ele admira, ele contou uma história. "Aconteceu algo muito do destino.Eu comprei o livro "Maria" da Eliana Portella, e foi depois desse livro que me veio a vontade de escrever.
Fiquei muito fã da escrita muito bem detalhada, ela faz você entrar dentro da estória. E a partir daí, passei a gostar muito do que ela escrevia e por coincidência do destino, eu entrei para a editora coerência e logo em seguida ela também assinou contrato, e a partir daí ficamos amigos. Tenho uma admiração por ela", afirmou.

Célio admitiu que não pretende escrever terror. Pois, ama romance e drama. Ele também abriu o coração ao falar sobre a casa (editora) que o acolheu(baita declaração): É uma editora que te abraça e não solta mais.
Te trata com carinho, respeito, está sempre pronta para lhe atender e a Lilian acabou sendo um pouco que minha psicóloga...rs.Tenho muita dificuldade em aparecer, ser o Centro das atenções, tanto que eu não queria fazer lançamento do livro, já queria que fosse direto para as livrarias. Sou muito tímido e estava morrendo de medo de não dar ninguém, ou até nem conseguir autografar, mas a Lilian com toda paciência do mundo foi trabalhando isso comigo, sou muito grato por tudo que ela me proporcionou diretamente e indiretamente. Não é somente uma editora somos uma família, ali estão todos pronto para ajudar um ao outro, torcemos pelo sucesso de cada um. Não poderia estar em lugar melhor.