segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Resenha Crítica do livro: Terra de Noite e Fogo


Sinopse

“Opala quer uma vida diferente. Não acha que a vida provinciana e o casamento forçado farão dela feliz. Quer se aventurar por Thergel, o país onde a noite jamais acaba e uma Imperatriz déspota senta-se no trono. Opala quer ser diferente.

Logo seus desejos se tornarão realidade.

Lucianne está muito encrencada. No último ano do colégio coisas estranhas acontecem, pessoas misteriosas aparecem e mortes inexplicáveis vêm à tona. Quando tenta descobrir o que tudo isso tem a ver com sua irmã gêmea, Elizabeth, Lucy se perde em um novo mundo.

Literalmente.

Agora as duas se unirão para encarar seus destinos. Opala conseguirá se encontrar numa nação onde metade promete idolatrá-la e a outra metade a quer morta? E Lucy, como fará para sobreviver numa terra desconhecida não sendo quem deveria ser?

Feiticeiras, monstros, elfos e espadas se cruzam nessa história onde nada é o que parece.

Prepare-se. A noite em Thergel está apenas começando”

Resenha Crítica

Nesse livro vamos conhecer duas histórias intercaladas,de um lado Opala que vive em um mundo cheio de magia e diversas criaturas e na outra parte as gêmeas Lucy e Elizabeth.
Opala é uma jovem que nunca se igualou com as jovens do povoado em que vive,após ser prometida para se casar ela decide tomar uma atitude e quando uma maga aparece, ela tem certeza que seu destino não é viver fadada ao fracasso naquele vilarejo e com uma missão vai em busca do desconhecido junto do seu amigo e companheiro de todas as horas, "Nem".

Já as gêmeas Elizabeth e Lucy são os opostos como água e vinho,enquanto Lucy é estudiosa e quer chamar menos atenção possível,  sua Irmã Bess é a rainha dos populares. Após seu pai intimar que mudariam para morar com o irmão que foi visto a última vez quando a mãe se matou. E é ai que a vida dessas meninas mudam.

A trama é boa,um livro que você tem que ler com calma para não se perder pois tem muitos detalhes. Confesso que esperei um pouco mais do término do primeiro livro com algo impactante, mas terminou bem neutro e com algumas lacunas, que espero muito desvendar no próximo livro.
Apesar das mulheres dominarem esse livro, os dois elfos roubam muito a cena,de um lado Argoul que assim que se encontra com Opala faz um voto de lealdade e a segue para o seu destino. Do outro lado Güilham que mesmo com todo o jeito bruto não tem como não se encantar um pouquinho.
Bom, agora é esperar sair essa sequência e descobrir o que essas três tem em comum e o que o destino reserva para elas.