quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Autora da série "A Garota do Calendário" dá entrevista exclusiva para o Lunáticas por Romances


Meninas, melhor vocês sentarem porque a novidade é fantástica. Sabendo do número de lulús que são fãs da Audrey Carlan, autora da série "A Garota do Calendário", a equipe Lunáticas por Romances fez contato com a autora e solicitou uma entrevista. Ela aceitou, de imediato. Ficamos emocionadas. Mas enfim, bingo. Tudo isso foi batalhado por vocês. Então aproveitem e se deliciem. 

*ENTREVISTA FEITA  E TRADUZIDA POR FABÍOLA MORGAN (ANJO LUNÁTICA)
01: Qual a sua inspiração para escrever a Mia?
Audrey: Eu só queria escrever uma menina atrevida e divertida que as mulheres de todos os lugares pudessem se identificar.

02: Quando você começou a escrever e quem era seu maior apoiador?
Audrey: Meu maior apoio foi o meu marido e irmãs de alma. Meu marido me deu o tempo que eu precisava para escrever, e minhas amigas me deram o empurrão que eu precisava. Leram cada capítulo que eu escrevi antes deles serem lançados de fato.

03: Alguma vez você imaginou que seus livros fossem fazer tanto sucesso no Brasil?
 Audrey: Não mesmo. Estou muito feliz com minha base de fãs brasileiros. Vocês são pessoas apaixonadas e amorosas. Sou uma pessoa muito sortuda.

04: Qual a sua inspiração para escrever A garota do calendário?
Audrey: Eu tinha acabado de escrever a trilogia Trinity, uma história muito intensa e emocionalmente desgastante para mim. Eu precisava de algo que deixaria minha inspiração correr livre. O que poderia ser melhor do que uma acompanhante involuntária que está apaixonada pelo amor e se encontra com homem maravilhosamente sexy todos os meses?

05: Você usou algum modelo ou ator / atriz como inspiração para seus personagens Wess e Mia?
Audrey: Não. Normalmente, imagino personagens na minha cabeça, mas para o Wes eu estava definitivamente imaginando um jovem Brad Pitt. Se bem que Chris Hemsworth também não seria nada mal (risos).  Quanto a Mia, adoro a ideia da típica garota americana.

06: Eu vi outras séries suas ainda não lançadas no Brasil. Qual é o assunto deles e existe a possibilidade deles serem lançados aqui?
Audrey: Eu espero que alguma das editoras brasileiras escolha meus outros livros, mas eu não tenho ideia se isso vai acontecer ou não. Eu acho que precisamos ver como a série Garota do Calendário se sai ao longo do tempo, para espalhar a ideia de quero mais. Acho que juntos podemos fazer isso acontecer!

07. O que podemos esperar dos seus projetos futuros?
Audrey: Muito amor (risos), situações sexuais eróticas, e um grande conjunto de personagens que você pode se conectar. Além da minha série Trinity, e da série Falling que já estão publicadas, estou trabalhando na série Lotus House que é vai girar em torno de um estúdio de ioga na Califórnia. É sensual, espiritual e sexual de todas as maneiras possíveis. Definitivamente algo que você não leu antes.

08. Como você lida com o amor de seus fãs?
Audrey: Dando todo esse amor de volta. Eu tento fazer brindes, tento ser sempre muito atenciosa nas mídias sociais como Facebook, Twitter e Instagram, mas é difícil quando seus livros são traduzidos em trinta países (risos). É muito gente para conversar, mas sou muito grata e tento retornar todo amor que eu recebo. Eu também continuo escrevendo e querendo dar a todos mais do que eles amam.

09. Qual foi o seu maior desafio no início da carreira?
Audrey: Acreditar em mim mesma. É difícil começar algo novo, uma carreira inteiramente diferente e colocar-se totalmente exposta para ter seu trabalho analisado. Tenho sorte que os leitores nunca foram muito duros comigo, fui ganhando mais fãs a casa novo livro.

10. Qual é a sensação de ter um livro publicado no Brasil e saber que ele é um grande sucesso?
Audrey: É incrível, emocionante e inacreditável. Eu só quero que os fãs e leitores fiquem felizes com Mia e sua jornada. Eu ainda estou cruzando meus dedos para que até o final de dezembro meus leitores brasileiros ainda  amem a série (risos).

11. Ano que vem tem Bienal novamente no Rio de Janeiro, você pretende voltar ao Brasil? Estamos ansiosos para vê-la novamente.
Audrey: Eu voltaria para a Bienal novamente e especialmente no Rio. Eu me apaixonei pelo Cristo e gostaria de trazer meu marido e filhos para mostrar-lhes o seu belo país. Além disso, eu quero ver meu editor e fãs novamente. Então, cruzem os dedos!

12. Muitos autores dizem que colocam seus traços de personalidade em seus personagens, você também faz isso? Quanto de você tem em seus personagens? 
Audrey: Não com frequência. São coisas que vem naturalmente quando você está escrevendo. Há definitivamente partes pequenas de Mia que vieram de mim. Por exemplo seus olhos verdes. Eu tenho olhos verdes. E ela é curvilínea, e eu também. Nós também temos palavras de calão engraçadas que usamos que são semelhantes. Fora isso, Mia é Mia. Apenas ela.

13: Qual é o momento mais memorável de sua carreira? Aquele momento que não sai da sua mente?
Audrey: Até agora, o dia em que minha amiga EL James solicitou amizade no meu Facebook. Tenho certeza de que tive um ataque cardíaco (risos). Eu amo a EL James e cinquenta tons de cinza. Ela é a razão pela qual eu comecei a escrever e me fez acreditar que eu poderia escrever uma história com todo meu coração e alma. Esse foi um grande momento para mim.

14: E para fechar com uma chave de ouro, qual é a mensagem que você deixa para os seus apaixonados fãs brasileiros?
Audrey: Eu só quero agradecer a todos vocês. Não existem palavras suficientes para agradecer. Às vezes eu gostaria de estar ai para abraçar cada um de vocês por me apoiarem nesta jornada. Vocês todos fizeram meu sonho se tornar realidade. Adoro vocês. Obrigado por ler e compartilhar o amor pelos meus livros. Eu vou continuar a tentar e deixar vocês orgulhosos com novas belas histórias de amor que vocês poderão devorar.
Amor louco...
Acredite na sua jornada, Audrey

Agradecemos a autora por ter topado e a toda equipe Lunáticas por Romances.♥