segunda-feira, 21 de novembro de 2016

15 curiosidades que todo leitor deve saber


A anjo Lunática, SCarolina Miranda, criou um quadro "Você Sabia?" no grupo oficial do blog.  Então listamos as 20 curiosidades que todos os leitores devem saber. Confira:

01- A palavra livro provém do latim “liber” , que significava a camada fina entre a casca e o miolo da árvore. A palavra inglesa “book” tem um significado semelhante: deriva de “bog” ou salgueiro, de que eram feitos os livros.

02- Os três livros mais lidos no mundo são: a Bíblia, “O Livro Vermelho”, de Mao Tsé-Tung, e “Harry Potter”.

03- “Bibliosmia” é o nome dado ao prazer em que as pessoas sentem ao cheirar livros antigos.

04- J.K. Rowling, autora de “Harry Potter”, escreveu todos os livros da saga à mão.

05- A caligrafia do escritor Machado de Assis era tão ruim que, às vezes, até ele tinha dificuldade de entender o que escrevia.

06- Paulo Coelho é o autor brasileiro que mais vendeu livros no mundo. Cerca de 70 milhões de exemplares.

07- Você sabia que uma hora de leitura consome uma média de 120 calorias?

Um estudo realizado por uma rede de livrarias britânica resolveu aprofundar um pouco mais sobre o assunto, ao encomendar uma pesquisa sobre a queima de calorias em relação à leitura de certos gêneros literários. O estudo comprovou que ao ler livros de ação, sexo e suspense, a taxa média de calorias que são gastas, dobram. Isso se dá ao fato de que livros ligados a esses temas provocam a produção de adrenalina, um hormônio que prepara o corpo para situações de estresse, reduzindo o apetite e queimando calorias.

08- “Alice no País das Maravilhas” chegou a ser proibido de ser vendido na China por ter como personagens “animais que falavam”.

09- Ler pode ajudar a prevenir doenças como o Alzheimer.

10- Nos EUA, aficcionados por livros são conhecidos como BookLovers (Amante de Livros) e BookWorms (Traça de Livros). No Brasil termos para aficcionados por livros não são muito difundidos e quase sempre preferem chama-los de nerds, quando o mais coerente seria Livrólatras (Adoradores de Livros) ou Bibliófilos (Amante de Livros).

11-A Biblioteca Nacional, que se encontra no Rio de Janeiro, é a maior do Brasil, com mais de 9 milhões de itens. Porém, esta não chega aos pés da maior biblioteca do mundo, a Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos, com mais de 144 milhões de itens diferentes, disponíveis em cerca de 470 idiomas. O fato inacreditável é que ela possui “apenas” 32 milhões de livros catalogados.

12- O romance de banca teve origem, aqui na terrinha, em 1935 e esta fase inicial durou até 1960, quando a Companhia Editora Nacional já publicava coleções de livros para as ‘moças’ daquela época, as chamadas coleções Azul, Rosa e Verde. Desses selos, o mais popular foi a Coleção Verde, também chamado de Biblioteca das Moças que contava com 175 títulos.
O gênero teve o seu grande “boom”  nos anos 70 quando a Editora Nova Cultural de São Paulo colocou no mercado, quer dizer... nas bancas, as coleções “Sabrina”, “Julia” e “Bianca”. Agora, pasmem. As tiragens desses romances chegavam a atingir 600 mil exemplares por mês, fazendo a alegria não só das leitoras, como também dos jornaleiros.

13- Uma mulher foi a autora do primeiro romance literário de todos os tempos. Murasaki Shibiku, uma japonesa da classe nobre, escreveu no ano 1007 um livro chamado “A história de Genji”, contando a história de um príncipe em busca amor e sabedoria. A pessoa que escreveu o maior número de romances na história também é uma mulher. Barabara Cartland é autora de nada menos que 723 romances, que venderam mais de um bilhão de cópias em 36 idiomas, fazendo dela também a autora de romances mais vendida do mundo.

14- A primeira biblioteca pública fundada no Brasil foi a da Bahia em 1811 (criada por iniciativa de cidadãos, e não por iniciativa governamental).

15- A The New York Times Best Seller list é amplamente considerada a mais proeminente lista de best-sellers nos Estados Unidos.[ Ela é publicada semanalmente no The New York Times Book Review.A lista foi publicada pela primeira vez em 12 outubro de 1931.