quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Resenha crítica: Simplesmente Ana


Gênero: Romance/New Adult
Páginas: 304
Nota: 5/5 
Editora: Novo Conceito

Um dos meus nacionais favoritos, conseguiu me deixar apaixonada. Fez parecer real tudo que foi relatado no livro com tanta delicadeza. Um mundo de realeza onde rola aproximação do pai com a filha, muita pegação. Princesa, príncipe, rei, como não amar?
Pra quem não conhece, a autora dessa obra chama-se Marina Carvalho.Ela nasceu em Ponte Nova, Minas Gerais, conhecida como a terra da goiabada. Adora queijo, rock progressivo, pudim de leite condensado, café com pouco açúcar e filmes com finais felizes.
Simplesmente Ana é o primeiro livro de uma triologia da autora. Após esse, vem De repente Ana e Elena. Sabe quando um livro faz uma ponte entre monarquia e o hoje? É assim. Imagine que em um dia aparentemente comum você descobre que seu pai é um rei. Isso mesmo, um rei de verdade em um país no sudeste da Europa. Você precisa ir até lá e assumir seu verdadeiro lugar de herdeira e futura rainha...
Atônica, Ana agora vai ter que decidir entre ficar no Brasil ou mudar-se para a Krósvia e viver em um país distante tendo como companhia somente o pai, os criados e o insuportável Alex. Mudar-se para a Krósvia pode ser tentador, deve ser ótimo viver em um lugar como aquele e, quem sabe, vir a tornar-se rainha , mas ela sabe que não pode contar com o pai o tempo todo, afinal ele é um rei bastante ocupado. E sabe também que Alex, o rapaz que é praticamente seu tutor em Krósvia, não fará nenhuma gentileza para que ela se sinta melhor naquele país estrangeiro.
A partir disso, o livro vai te prendendo. Os conflitos vão surgindo e você precisa ver a resolução deles. Simplesmente Ana me fez terminar de lê-lo e correr pra o google pesquisar: KRÓSVIA. Passou uma ideia de realidade muito profunda. Primeiro uma solicitação de amizade no facebook para uma estudante que mora em Minas Gerais, depois o surgimento de um reino que ela precisava assumir.
O livro transmite coragem. Uma menina de 19 anos que não temeu arriscar e foi. Viveu cada momento numa realidade diferente do que ela estava acostumada. Enfrentou os possíveis monstros, aqueles que não fazem desistir fácil. Quem ler a triologia inteira vai perceber o quanto Ana foi guerreira e madura. As dificuldades amadurecem a gente.
Sobre o Alex, rapaz a qual Ana se apaixona, podemos ver que a implicância para o amor, é um passo. Alex fazia de tudo para afastar Ana do reino, pois duvidava da sua integridade. Havia possibilidades de ser apenas alguém querendo roubar a herança do rei. Porém a convivência aproxima, faz ver o que a pessoa ao nosso lado tem de melhore e de pior também, afinal ninguém é perfeito. Foi com essa "implicância" que nasceu um amor lindo, delicioso de ser lido.
Talvez eu seja suspeita de falar, mas fã nata da série A seleção, posso dizer que tenho a triologia da Marina como favorita. A Marina foi a primeira autora a qual tive contato. Apaixonada pelo livro, cacei na internet algo relacionado a ele. Localizei o face dela. Mandei mensagem e ela respondeu com todo carinho. Era só mais uma garota apaixonada pelo livro dela, mas com todo carinho fui respondida e percebi o quanto estava certa em gostar do trabalho dela.
Pra quem quer mais informações:http://www.marinacarvalhoescritora.com.br/